Pular para o conteúdo principal

Olhos marejados

Olhos Marejados...

A reportagem do G1 intitulada "Região Serrana do RJ enfrenta 2º dia de calamidade causada pela chuva" começa relatando que já são 341 mortos como consequência da tragédia das enchentes no Rio de Janeiro. Detalhe, esses números foram contabilizados desde a última terça-feira (11), ou seja em apenas 2 dias...

Com os olhos marejados assisti ao depoimento de um rapaz que ajuda no salvamento de várias pessoas vítimas da tragédia. Apontando para uma jovem deitada e com ar desesperançoso em uma maca ele diz: "_ Ela perdeu a mãe e a irmã - e com voz embargada - continua: Eu também perdi meu sobrinho e outros parentes". Neste momento desejei, ardentemente, que as autoridades estivessem assistindo à reportagem do Bom Dia São Paulo e que, enfim, fizessem alguma coisa...


Mas o que se pode fazer? 
A terra não mais comporta o intenso volume de água e a queda de barrancos se torna inevitável. A conscientização de não se construir casas e barracos próximos a barrancos se faz necessária.

Lixo e entulho: Essa é a nossa parte, é o que podemos fazer. Jogar o lixo no lixo e nunca, jamais, deixá-los em bueiros ou próximos a rios. Essa atitude prejudica o escoamento de água. Leia mais sobre...

Se faltam recursos para a construção de "piscinões" ou outro tipo de reservatório para dar vazão à água, talvez eles possam vir do dinheiro da corrupção. Talvez algumas pessoas que se valhem de cargos públicos para enriquecer tenham assistido à reportagem em questão e ficaram, assim como eu, com seus olhos marejados...

Leia também: Risco de vida ou risco de morte?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Esta ou essa quando usar (gramática)

Muita gente não sabe que há diferença em quando usar esta ou essa (gramática), em uma frase. E de fato há...

E respondendo a pergunta quando usar as palavras esta ou essa, desta, dessa e aquela: Vou explicar a diferença entre esta ou essa recordando a maneira como aprendi de um jeito que fez com que eu NUNCA MAIS ESQUECESSE...

...E recordando
Lembro-me que, certa vez (e lá se vão anos), perguntei ao meu professor de língua portuguesa - o estimado professor Albo - quando deveria usar essa ou esta e ele olhou firmemente em meus olhos - já era um senhor duns 75 anos ou mais - e disse enquanto batia com força e apontando para a mesa dele disse:

 _ Esta mesa é minha, e apontando para minha mesa (carteira)... _ Essa mesa é sua! E arregalou os olhos. Eu nunca mais tive essa dúvida. Se fixou que nem cola em meu cérebro e creio que na menta dos alunos da sala inteira.

Como fazer um bom café

Nada como um cheirinho de café passado na hora... O aroma do café quentinho recém-preparado e aquela fumacinha nos fazem necessitar de uma xícara de café e nem precisa ser feito em máquina de café expresso.

Mas como fazer um bom café?
Daqueles que a gente toma nas cafeterias ou em casas do interior do de fazenda, que a gente vê o grão torrado se transformar em pó (o aroma é quase perturbador) e torce para que a água passe logo pelo coador de pano já amarronzado de tanto café que já tirou.




A ideia para escrever esse post veio de uma entrevista que assisti e que me deixou cabreira, pois segundo a barista, é impossível tirar um bom café com o café que a gente compra no mercado... Leia no final*

Para preparar um bom café em casa se você for como a maioria das pessoas que não tem um moedor de café em casa (:/) basta seguir algumas dicas para um bom café:


1. O pó de café:
- Marca: Escolha uma marca que possui certificado de pureza e qualidade, o selo de pureza ABIC, facilmente verificado nas e…

O livro "Diário de uma Vegana" mexeu com minha "alma" vegana

Ando enfrentando uma questão pessoal que envolve o universo da carne, do vegetarianismo e quiçá do veganismo. Não chega a ser um drama, talvez seja quase um dilema, o qual não consigo resolver -- não a médio prazo. E quem me conhece de verdade pode imaginar o quanto eu quero (ou precisava) escrever sobre o assunto. No entanto, faltava-me o estímulo para transformar em palavras o que sinto, ou melhor, o que sente minha alma vegana. O estímulo surgiu ao tomar conhecimento do livro "Diário de uma Vegana", de Alana Rox, autora que nasceu vegetariana e agora é vegana (um tipo de vegetariano estrito, que não consome NADA de origem animal).


Quando afirmo que Alana nasceu vegetariana, vocês podem imaginar que seus pais não davam carne a ela, mas não é em assim: seus pais não eram vegetarianos. E o mais incrível é que ela e filha de uma gaúcha, ou seja, é nascida em terras onde a carne é praticamente a base da refeição.

Alana Rox rejeitava qualquer alimento de origem animal, para o s…