Pular para o conteúdo principal

Steve Jobs não foi à escola, era a própria

apples
Steve não era PhD, Steve não fez doutorado, Steve não fez mestrado, Steve não fez MBA...Steve não fez faculdade. Se matriculou em uma, é verdade, mas menos de 1 mês depois já havia abandonado as cadeiras da escola, mas não os cadernos e livros, tanto que teve sua mais genial ideia em um curso de caligrafia, ao olhar um simples lápis e as criações infinitas - até - bucólicas que esse pedaço de carvão confinado em uma capa de madeira pode fazer.

Sua genialidade e inteligência não foram adquiridas, eram natas. Seu brilhantismo e imensa capacidade criativa superavam o de qualquer professor que ele pudesse ter tido. Sua missão era ensinar e não ser ensinado.

Steve tinha trabalho até no nome... "Jobs".



Graças a ele tive meu primeiro e inesquecível contato com um computador portátil, o qual pertencia ao meu primo Eugênio, provavelmente a primeira pessoa da família a ter um computador pessoal. Na época, início dos anos 80, eu, ainda criança muito pequena, não tinha a menor ideia de que, um dia, passaria mais de 8 horas por dia num computador, trabalhando - graças a ele tenho minha renda e interagindo com amigos e parentes em todos os cantos do mundo e a qualquer hora.

Minha homenagem e meu muito obrigado - pelo PC, pelo mouse, pelo iPhone, pelo iPod, pelo iPad e pelo filme Toy Story- ao gênio da criação e da tecnologia Steve Jobs. Renata Fraia 5/10/2011.

Texto e Foto 'apples': Renata Fraia

Comentários

ola sou um dos seus amigos no dihitt , vim conhecer seu espaço espero q conheça o meu ha e por favor me segue abçs espero vc lah
clica para entra no site e seguir

Postagens mais visitadas deste blog

Esta ou essa quando usar (gramática)

Muita gente não sabe que há diferença em quando usar esta ou essa (gramática), em uma frase. E de fato há...

E respondendo a pergunta quando usar as palavras esta ou essa, desta, dessa e aquela: Vou explicar a diferença entre esta ou essa recordando a maneira como aprendi de um jeito que fez com que eu NUNCA MAIS ESQUECESSE...

...E recordando
Lembro-me que, certa vez (e lá se vão anos), perguntei ao meu professor de língua portuguesa - o estimado professor Albo - quando deveria usar essa ou esta e ele olhou firmemente em meus olhos - já era um senhor duns 75 anos ou mais - e disse enquanto batia com força e apontando para a mesa dele disse:

 _ Esta mesa é minha, e apontando para minha mesa (carteira)... _ Essa mesa é sua! E arregalou os olhos. Eu nunca mais tive essa dúvida. Se fixou que nem cola em meu cérebro e creio que na menta dos alunos da sala inteira.

Como fazer um bom café

Nada como um cheirinho de café passado na hora... O aroma do café quentinho recém-preparado e aquela fumacinha nos fazem necessitar de uma xícara de café e nem precisa ser feito em máquina de café expresso.

Mas como fazer um bom café?
Daqueles que a gente toma nas cafeterias ou em casas do interior do de fazenda, que a gente vê o grão torrado se transformar em pó (o aroma é quase perturbador) e torce para que a água passe logo pelo coador de pano já amarronzado de tanto café que já tirou.




A ideia para escrever esse post veio de uma entrevista que assisti e que me deixou cabreira, pois segundo a barista, é impossível tirar um bom café com o café que a gente compra no mercado... Leia no final*

Para preparar um bom café em casa se você for como a maioria das pessoas que não tem um moedor de café em casa (:/) basta seguir algumas dicas para um bom café:


1. O pó de café:
- Marca: Escolha uma marca que possui certificado de pureza e qualidade, o selo de pureza ABIC, facilmente verificado nas e…

O livro "Diário de uma Vegana" mexeu com minha "alma" vegana

Ando enfrentando uma questão pessoal que envolve o universo da carne, do vegetarianismo e quiçá do veganismo. Não chega a ser um drama, talvez seja quase um dilema, o qual não consigo resolver -- não a médio prazo. E quem me conhece de verdade pode imaginar o quanto eu quero (ou precisava) escrever sobre o assunto. No entanto, faltava-me o estímulo para transformar em palavras o que sinto, ou melhor, o que sente minha alma vegana. O estímulo surgiu ao tomar conhecimento do livro "Diário de uma Vegana", de Alana Rox, autora que nasceu vegetariana e agora é vegana (um tipo de vegetariano estrito, que não consome NADA de origem animal).


Quando afirmo que Alana nasceu vegetariana, vocês podem imaginar que seus pais não davam carne a ela, mas não é em assim: seus pais não eram vegetarianos. E o mais incrível é que ela e filha de uma gaúcha, ou seja, é nascida em terras onde a carne é praticamente a base da refeição.

Alana Rox rejeitava qualquer alimento de origem animal, para o s…