Pular para o conteúdo principal

Domingo de eleição hilário

Como descrevi no título, meu domingo de eleição foi hilário. Não, não havia engraçadinho algum gritando: _Vote no Tiririca (a propósito veja o sr. Francisco Everaldo Oliveira Silva votando sem fantasia de palhaço)! O que presenciei foi uma total falta de preparo das pessoas que trabalharam no colégio onde justifiquei. E foi assim...

Munida de título, documento com foto e do formulário devidamente preenchido pela internet compareci ao colégio. Lá, havia uma área reservada a quem iria justificar. Até aí tudo normal.

A partir daí a confusão se instalou. As senhoras "treinadas" para realizar o procedimento não estavam tão preparadas assim e, no decorrer dos minutos que se passaram, concluí que elas estavam, na verdade, muito despreparadas.

Não quiseram aceitar o formulário que preenchi online e disseram que elas é que deveriam preenchê-lo. Eu estava de muito bom humor... Até que o terceiro formulário preenchido erroneamente foi rasgado. As senhoras não conseguiam preencher nenhum campo e umas perguntavam às outras o que fazer. Depois de cerca de 20 minutos e papel preenchido corretamente, fui encaminhada à sala de votação, onde se iniciou mais uma novela. Desta vez, os mesários não sabiam o que fazer com aquele papel (parecia, até, que nunca o tinham visto). Depois de abrir, fechar, abrir de novo e folhear descobriram o que fazer. No final, ainda restava dúvida sobre qual papel deveria me ser entregue como comprovante, eu tentei informar que era o menor, em vão, a mesária saiu da sala para perguntar para outra pessoa. Comprovante entregue, a cobaia foi liberada.

Quando já estava dentro do carro, meu marido, que passou pelas mesmas situações que eu, notou que não havia uma rubrica do funcionário em meu comprovante, o que, obviamente, me fez voltar à "zona" eleitoral.

Questiono a mim mesma sem resposta: Ainda que aquelas pessoas não tivessem recebido treinamento algum, não cabia às mesmas tentar se informar por conta própria? Há tantos meios, internet e noticiários... A outra questão é: Não deveria, o Brasil, antes de se preocupar em mostrar ao mundo - alguns americanos vieram ao país ver o funcionamento de nossas urnas eletrônicas - nosso moderno processo eleitoral, dar treinamento e orientação a mesários e demais funcionários, que não são máquinas, que trabalham nas eleições?

Renata Fraia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Esta ou essa quando usar (gramática)

Muita gente não sabe que há diferença em quando usar esta ou essa (gramática), em uma frase. E de fato há...

E respondendo a pergunta quando usar as palavras esta ou essa, desta, dessa e aquela: Vou explicar a diferença entre esta ou essa recordando a maneira como aprendi de um jeito que fez com que eu NUNCA MAIS ESQUECESSE...

...E recordando
Lembro-me que, certa vez (e lá se vão anos), perguntei ao meu professor de língua portuguesa - o estimado professor Albo - quando deveria usar essa ou esta e ele olhou firmemente em meus olhos - já era um senhor duns 75 anos ou mais - e disse enquanto batia com força e apontando para a mesa dele disse:

 _ Esta mesa é minha, e apontando para minha mesa (carteira)... _ Essa mesa é sua! E arregalou os olhos. Eu nunca mais tive essa dúvida. Se fixou que nem cola em meu cérebro e creio que na menta dos alunos da sala inteira.

Como fazer um bom café

Nada como um cheirinho de café passado na hora... O aroma do café quentinho recém-preparado e aquela fumacinha nos fazem necessitar de uma xícara de café e nem precisa ser feito em máquina de café expresso.

Mas como fazer um bom café?
Daqueles que a gente toma nas cafeterias ou em casas do interior do de fazenda, que a gente vê o grão torrado se transformar em pó (o aroma é quase perturbador) e torce para que a água passe logo pelo coador de pano já amarronzado de tanto café que já tirou.




A ideia para escrever esse post veio de uma entrevista que assisti e que me deixou cabreira, pois segundo a barista, é impossível tirar um bom café com o café que a gente compra no mercado... Leia no final*

Para preparar um bom café em casa se você for como a maioria das pessoas que não tem um moedor de café em casa (:/) basta seguir algumas dicas para um bom café:


1. O pó de café:
- Marca: Escolha uma marca que possui certificado de pureza e qualidade, o selo de pureza ABIC, facilmente verificado nas e…

O livro "Diário de uma Vegana" mexeu com minha "alma" vegana

Ando enfrentando uma questão pessoal que envolve o universo da carne, do vegetarianismo e quiçá do veganismo. Não chega a ser um drama, talvez seja quase um dilema, o qual não consigo resolver -- não a médio prazo. E quem me conhece de verdade pode imaginar o quanto eu quero (ou precisava) escrever sobre o assunto. No entanto, faltava-me o estímulo para transformar em palavras o que sinto, ou melhor, o que sente minha alma vegana. O estímulo surgiu ao tomar conhecimento do livro "Diário de uma Vegana", de Alana Rox, autora que nasceu vegetariana e agora é vegana (um tipo de vegetariano estrito, que não consome NADA de origem animal).


Quando afirmo que Alana nasceu vegetariana, vocês podem imaginar que seus pais não davam carne a ela, mas não é em assim: seus pais não eram vegetarianos. E o mais incrível é que ela e filha de uma gaúcha, ou seja, é nascida em terras onde a carne é praticamente a base da refeição.

Alana Rox rejeitava qualquer alimento de origem animal, para o s…