Pular para o conteúdo principal

Profissão Blogueiro: Probloggers

Não vejo problemas em fazer do ato de blogar uma profissão, ainda que sem registro em carteira, INSS e tudo o mais. Há algumas pessoas que estão ganhando, se não muito, o suficiente para manter sua qualidade de vida sem precisar enfrentar trânsitos, chefes mau-humorados e ter mais tempo para o lar e a família.
.
O que repudio e fico profundamente triste em ver, são as pessoas que acordam as 4:00, pegam 2 a 3 ônibus, para ir e voltar, chegando em casa às 23:00 e ainda ganham o salário mínimo, que com os descontos não chega a 400 Reais.
.
Por isso, sei de pessoas que têm doutorado e prestaram concurso pra gari, devido ao saturamento do mercado. Embora, a profissão de gari seja honrada e absolutamente necessária (todo mundo gosta de ver a cidade limpa), inclusive, assim sendo, eles mereceriam receber muito mais pelo que fazem.

.
Conheço gente que ganha 1000/mês blogando e, pelo exposto acima, estão sim em vantagem, ao menos segundo SUAS expectativas.
.
Quanto ao "publieditorial" acho que deveria ser publicada uma tabela com valores médios e não ficar na marginalização. E mais... Os blogueiros deveriam sempre informar tratar-se de um publieditorial e não travesti-lo de post e apenas aceitar a publicidade se refletisse a si mesmo: "Falaria disso mesmo se não fosse pago pra isso?" Se sim, não há porque não fazer.
.
Nunca fiz um publieditorial. Talvez como o Gravz falou: "Se for uma boa proposta (...) " e por um produto que eu mesma consumiria e aprovo e "não fere a moral e os bons costumes", não vejo porque não usar isso com uma fonte de renda.
.
Se você tem AdSense é recomendável que jamais fira seus princípios com certas publicidades. A meu ver o AdSense sempre é mais vantajoso.
.
Ilícito é médico que opera pelo SUS e ainda cobra a cirurgia por fora. Ou farmacêutico (minha profissão) que faz visitação médica dizendo que se o médico indicar sua farmácia, terá descontos e/ou participação.
.
Conheço um engenheiro que recebe metade do salário anual em presentes (carros, viagens, etc.) porque os impostos para as empresas brasileiras são abusivos e sai mais barato oferecer tais mimos.
.
Vixe! Já me estendi muito.
.
Abçs a todos, inclusive aos probloggers, garis, médicos, engenheiros, jornalistas e qualquer meio de ganhar dinheiro que você escolheu, desde que não prejudique a ninguém.

Em tempo: Se a "profissão blogueiro" (probloggers) lhe parece atrativa (você escreve bem, tem ideias próprias, ama a liberdade de expressão, não fere a liberdade e direito dos outros e é criativo), por que não ser um blogueiro profissional? Aliás, eu penso que essa é só mais uma especialidade ou vertente do jornalismo, óbvio, não? Afinal, tem muito site, revista e jornal contratando blogueiros e/ou jornalistas para escreverem em seus blogs.
.
Que bom, num mundo tão saturado, quanto mais profissões forem criadas tanto melhor para todos. Bjs :)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Esta ou essa quando usar (gramática)

Muita gente não sabe que há diferença em quando usar esta ou essa (gramática), em uma frase. E de fato há...

E respondendo a pergunta quando usar as palavras esta ou essa, desta, dessa e aquela: Vou explicar a diferença entre esta ou essa recordando a maneira como aprendi de um jeito que fez com que eu NUNCA MAIS ESQUECESSE...

...E recordando
Lembro-me que, certa vez (e lá se vão anos), perguntei ao meu professor de língua portuguesa - o estimado professor Albo - quando deveria usar essa ou esta e ele olhou firmemente em meus olhos - já era um senhor duns 75 anos ou mais - e disse enquanto batia com força e apontando para a mesa dele disse:

 _ Esta mesa é minha, e apontando para minha mesa (carteira)... _ Essa mesa é sua! E arregalou os olhos. Eu nunca mais tive essa dúvida. Se fixou que nem cola em meu cérebro e creio que na menta dos alunos da sala inteira.

Como fazer um bom café

Nada como um cheirinho de café passado na hora... O aroma do café quentinho recém-preparado e aquela fumacinha nos fazem necessitar de uma xícara de café e nem precisa ser feito em máquina de café expresso.

Mas como fazer um bom café?
Daqueles que a gente toma nas cafeterias ou em casas do interior do de fazenda, que a gente vê o grão torrado se transformar em pó (o aroma é quase perturbador) e torce para que a água passe logo pelo coador de pano já amarronzado de tanto café que já tirou.




A ideia para escrever esse post veio de uma entrevista que assisti e que me deixou cabreira, pois segundo a barista, é impossível tirar um bom café com o café que a gente compra no mercado... Leia no final*

Para preparar um bom café em casa se você for como a maioria das pessoas que não tem um moedor de café em casa (:/) basta seguir algumas dicas para um bom café:


1. O pó de café:
- Marca: Escolha uma marca que possui certificado de pureza e qualidade, o selo de pureza ABIC, facilmente verificado nas e…

O livro "Diário de uma Vegana" mexeu com minha "alma" vegana

Ando enfrentando uma questão pessoal que envolve o universo da carne, do vegetarianismo e quiçá do veganismo. Não chega a ser um drama, talvez seja quase um dilema, o qual não consigo resolver -- não a médio prazo. E quem me conhece de verdade pode imaginar o quanto eu quero (ou precisava) escrever sobre o assunto. No entanto, faltava-me o estímulo para transformar em palavras o que sinto, ou melhor, o que sente minha alma vegana. O estímulo surgiu ao tomar conhecimento do livro "Diário de uma Vegana", de Alana Rox, autora que nasceu vegetariana e agora é vegana (um tipo de vegetariano estrito, que não consome NADA de origem animal).


Quando afirmo que Alana nasceu vegetariana, vocês podem imaginar que seus pais não davam carne a ela, mas não é em assim: seus pais não eram vegetarianos. E o mais incrível é que ela e filha de uma gaúcha, ou seja, é nascida em terras onde a carne é praticamente a base da refeição.

Alana Rox rejeitava qualquer alimento de origem animal, para o s…