Pular para o conteúdo principal

Programa de Fátima Bernardes busca identidade

Atualização (04.07.2014 - 2 anos após este post ter sido escrito) - todas as novas informações estão grifadas em lilás.

O programa da jornalista e apresentadora Fátima Bernardes, "Encontro com Fátima Bernardes" está no ar há duas semanas, mas ainda não decolou. A audiência cai a cada dia... Após 2 anos o programa mostra ser um sucesso e pararam os rumores de que ele acabaria... ainda bem!

Até agora só há críticas e a maioria dos jornalistas e do público que assiste a TV pela manhã não acredita no sucesso do programa. As críticas acabaram!

Mas o que pode estar errado no programa da Fátima Bernardes?


A meu ver, ainda falta ao programa encontrar a sua identidade. Os jornalistas se misturam ao público e o que era para ser uma interação dinâmica se tornou uma bagunça.

Há muita gente em uma plateia que pouco participa e os temas apresentados são confusos e não provocam interesse da plateia nem do público que está em casa. Os temas são bons, mas a forma como são abordados deixa a desejar. O "teatrinho" onde dois personagens debatem, como o que o pai discutia com o namorado professor e bem mais velho que a filha foi um fiasco. O assunto foi levantado, mas não fazia o menor sentido e as questões eram: É errado um professor de 35 anos namorar sua aluna na universidade que tem 18 anos?


O tema foi debatido, mas a conclusão era óbvia: a moça tinha 18 anos ("é de maior" como dizem) e o professor afirmava que eles namoravam fora da faculdade (...). Ou seja, um tema que poderia ser polêmico na década de 80, mas que não faz o menor sentido nos dias atuais.

Em minha modesta opinião, esse quadro deveria acabar ou ser totalmente reformulado. O quadro acabou... que bom!

A disposição do público da plateia também deveria mudar, pois a clara intenção de permitir a interação entre jornalistas e público não está acontecendo, dessa forma, deixar delimitado o espaço de cada um poderia ser um ponto positivo a favor do programa. Essa delimitação poderia ser feita com cores por exemplo. Cores? É! Pintar o círculo onde os jornalistas estão de uma cor diferente de onde está a plateia, colocar cadeiras diferentes para convidados, apresentadora e demais jornalistas também poderia funcionar. A disposição, de fato, mudou e o círculo pintado que eu sugeri, foi aplicado (será que leram este post?) e as cadeiras diferentes e coloridas foram colocadas no cenário.

Um programa interativo, nos dias de hoje, deveria ter mais participação de internautas e de uma ligação direta e intensa com as redes sociais. Já há grande participação do público, pelas redes sociais e nas ruas. A plateia está participando com plaquinhas de sim ou não, além de outras formas de interação. Acabou a apatia.

O formato
Acredito que esse é um tipo de programa que combina com o horário das 16:00 horas, tanto pelos temas abordados como pelo formato em si. Aliás, formato este, que deveria ser completamente reformulado. Todas as mudanças e os temas abordados fizeram com que o programa tornasse perfeito para o horário da manhã, inclusive.

Confira o site do programa!

O futuro do programa Encontro com Fátima Bernardes

Enfim, temos a simpaticíssima e inteligente jornalista e apresentadora Fátima Bernardes no comando do programa e os outros jornalistas que também só merecem elogios. O quê? Estou jogando confete? NÃO! Esta é minha opinião sincera!

Talvez uma das soluções seja colocar bancadas para apresentadores, um "cantinho do internauta", onde há interação direta e dinâmica com quem estiver ao vivo e online e ininterruptamente. Os internautas estão participando ativamente do programa.

Encontro com Fátima Bernardes é um sucesso!
Encontro com Fátima Bernardes é um sucesso! foto: Gshow
Acredito Estou certa que o programa vai dar certo, ele apenas e tão somente, está buscando sua identidade! E vai encontrar! Boa sorte Fátima!! O programa "Encontro com Fátima Bernardes" decolou! Lembrando que numa das estratégias anotadas no início das mudanças fora fazer um programa mais musical. Deu certo e hoje ele está menos musical e continua ótimo. Aproveito para parabenizar os produtores do programa por trazerem alguns músicos desconhecidos do grande público e 'dar a eles uma chance de serem vistos'. Parabéns!

Comentários

Ana disse…
Muito bom o post. Refletiu e-xa-ta-men-te o que sinto quando vejo o programa!!

Abçs
Ana

Postagens mais visitadas deste blog

Esta ou essa quando usar (gramática)

Muita gente não sabe que há diferença em quando usar esta ou essa (gramática), em uma frase. E de fato há...

E respondendo a pergunta quando usar as palavras esta ou essa, desta, dessa e aquela: Vou explicar a diferença entre esta ou essa recordando a maneira como aprendi de um jeito que fez com que eu NUNCA MAIS ESQUECESSE...

...E recordando
Lembro-me que, certa vez (e lá se vão anos), perguntei ao meu professor de língua portuguesa - o estimado professor Albo - quando deveria usar essa ou esta e ele olhou firmemente em meus olhos - já era um senhor duns 75 anos ou mais - e disse enquanto batia com força e apontando para a mesa dele disse:

 _ Esta mesa é minha, e apontando para minha mesa (carteira)... _ Essa mesa é sua! E arregalou os olhos. Eu nunca mais tive essa dúvida. Se fixou que nem cola em meu cérebro e creio que na menta dos alunos da sala inteira.

Como fazer um bom café

Nada como um cheirinho de café passado na hora... O aroma do café quentinho recém-preparado e aquela fumacinha nos fazem necessitar de uma xícara de café e nem precisa ser feito em máquina de café expresso.

Mas como fazer um bom café?
Daqueles que a gente toma nas cafeterias ou em casas do interior do de fazenda, que a gente vê o grão torrado se transformar em pó (o aroma é quase perturbador) e torce para que a água passe logo pelo coador de pano já amarronzado de tanto café que já tirou.




A ideia para escrever esse post veio de uma entrevista que assisti e que me deixou cabreira, pois segundo a barista, é impossível tirar um bom café com o café que a gente compra no mercado... Leia no final*

Para preparar um bom café em casa se você for como a maioria das pessoas que não tem um moedor de café em casa (:/) basta seguir algumas dicas para um bom café:


1. O pó de café:
- Marca: Escolha uma marca que possui certificado de pureza e qualidade, o selo de pureza ABIC, facilmente verificado nas e…

Falar o que está entalado na garganta pra não somatizar e virar doença

Falar o que está entalado na garganta...

Essa atitude é perigosa, mas acho que deve ser tomada antes que você fique doente e somatizes (gerando doenças na garganta como infecções, problemas na tireoide de até câncer de garganta.

É perigosa porque você pode perder um amigo. Mas será que essa pessoa é mesmo sua amiga? Se fosse não te ofenderia, nem te magoaria com tanta frequência... Assim, no fim você só ganha, não perde...