Pular para o conteúdo principal

Lei Menino Bernardo / Lei da Palmada é aprovada

Em homenagem à Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, foi aprovada a Lei Menino Bernardo ou Lei da Palmada.

O menino que foi morto no Rio Grande do Sul após receber uma injeção letal com um medicamento prescrito pelo próprio pai (segundo as autoridades do País; mas que ainda são apenas suspeitos; pois ainda não foram em julgamento); que também é médico.

A Lei da Palmada; que foi aprovada no dia 21 de maio; estava parada há dois anos, proíbe os pais de aplicarem castigos físicos nos filhos.

Abaixo um trecho da justificativa do projeto:

“A proposição materializa, por fim, o crescente compromisso de sociedades contemporâneas que reconhecem que crianças e adolescentes têm direitos frente ao Estado e cabe a ele organizar ações para sua plena realização. A proposição, inegavelmente, aborda a realização de direitos que são inerentes a crianças e adolescentes e indispensáveis a sua dignidade e pleno desenvolvimento”. 

O nome "Lei menino Bernardo", foi dado em homenagem ao menino morto no Rio Grande do Sul, que comoveu o país. O crime tem como principais suspeitos o pai e a madrasta.

A Lei propõe que os pais que baterem e machucarem seus filhos sejam advertidos e façam parte de um Programa de Proteção à Família, que oferecem tratamento psicológico ou psiquiátrico e à criança, um tratamento especializado.

O nome Lei da Palmada não agradou a ninguém:

Existem, no entanto, críticos à proposta que alegam a preservação de direitos individuais e a interferência da lei na educação dos filhos. Ao mesmo tempo quem defende a Lei não gostou do título, Lei da Palmada, pois a lei se refere a espancamentos e queimaduras, coisas bem mais graves. Por isso; a partir de agora chamaremos a lei de Lei Menino Bernardo.

Fonte: Revista Crescer

Lei Menino Bernardo / Lei da Palmada é aprovada
Lei Menino Bernardo / Lei da Palmada é aprovada


Comentário deste blog:
É difícil acreditar que um pai tenha 'encomendado' a morte do próprio filho. Mais inacreditável ainda; é imaginar que este pai também é médico e quando recebeu seu diploma fez um juramento de que iria zelar pela saúde dos seres humanos. Todos se lembram do filme "O médico e o monstro"? Abaixo o juramento de Hipócrates:

Juramento de Hipócrates

Prefácio
São estes os estatutos da arte médica que o aluno deve aceitar e confirmar por juramento, Contêm os preceitos sobre a gratidão para com o professor; sobre a integridade do doente e sobre os mais graves casos cirúrgicos não curáveis, como a extracção de cálculos da bexiga, como se debus pela divisão da medicina em três partes, Os antigos aceitavam-na, os Mercuriales rejeitam-na.

Argumento
Os deveres que o médico deve ter para com o professor e para com a profissão são: a integridade de vida, a assistência aos doentes e o desprezo pela sua própria pessoa;

juramento em si...

"Eu juro, por Apolo médico, por Esculápio, Hígia e Panacea, e tomo por testemunhas todos os deuses e todas as deusas, cumprir, segundo meu poder e minha razão, a promessa que se segue:

Estimar, tanto quanto a meus pais, aquele que me ensinou esta arte; fazer vida comum e, se necessário for, com ele partilhar meus bens; ter seus filhos por meus próprios irmãos; ensinar-lhes esta arte, se eles tiverem necessidade de aprendê-la, sem remuneração e nem compromisso escrito; fazer participar dos preceitos, das lições e de todo o resto do ensino, meus filhos, os de meu mestre e os discípulos inscritos segundo os regulamentos da profissão, porém, só a estes.

Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém.

A ninguém darei por comprazer, nem remédio mortal nem um conselho que induza a perda. Do mesmo modo não darei a nenhuma mulher uma substância abortiva.  

Conservarei imaculada minha vida e minha arte.

Não praticarei a talha, mesmo sobre um calculoso confirmado; deixarei essa operação aos práticos que disso cuidam.

Em toda casa, aí entrarei para o bem dos doentes, mantendo-me longe de todo o dano voluntário e de toda a sedução, sobretudo dos prazeres do amor, com as mulheres ou com os homens livres ou escravizados.

Àquilo que no exercício ou fora do exercício da profissão e no convívio da sociedade, eu tiver visto ou ouvido, que não seja preciso divulgar, eu conservarei inteiramente secreto.

Se eu cumprir este juramento com fidelidade, que me seja dado gozar felizmente da vida e da minha profissão, honrado para sempre entre os homens; se eu dele me afastar ou infringir, o contrário aconteça." [fonte: www.cremesp.org.br]

Sobre o juramento de Hipócrates:

De forma geral, acredita-se que o juramento tenha sido escrito por Hipócrates (amplamente considerado como o pai da medicina ocidental) ou por um dos seus alunos. O juramento original foi escrito em grego jônico (século V a.C.).

Juramento do Farmacêutico:


"Prometo, em minhas funções de Farmacêutico,
orientar sempre, sem nunca me impor,
auxiliar no que for possível,
não pensando em gratificações e agradecimentos.

Juro não oferecer drogas que,
conscientemente, saiba eu serem nocivas à saúde.

Evitarei qualquer ato de maldade
ou que favoreça o crime e a corrupção.

Prometo ainda ser um amigo leal,
que mereça a confiança das pessoas
em seus momentos mais difíceis.

E espero a graça divina do amparo
para que eu saiba cumprir com dignidade a minha profissão."


Hino Farmacêutico

Autor: Farmacêutico Islou Silva
CRF-DF: 1123

A cura do homem no passado
Que por meio de ungüentos se dava
Foi pelo eterno Hipócrates
Do tempo dos deuses tirada

Da inesgotável fonte de Deus
O homem de remédios se proveu
Dos fartos recursos naturais
Com sabedoria se serviu

Oh, que herança inaudita
Farmácia, ciência milenar
De Galeno as antigas boticas
Vieram a dor do homem minorar
Ergo os meus olhos bem alto
E contemplo a missão do saber
Que melhora a vida do homem
E com prazer o ajuda a viver.

Da grande missão da ciência
Serei sempre um forte aliado
Em busca de conhecimento
Com a ética sempre ao meu lado

Carrego pra sempre em meus ombros
A intrépida vontade de vencer
E cultuo no meu coração
O afã da cura nos trazer

Fonte: Conselho Federal de Farmácia


obs.: desculpe o excesso de 'ponto e vírgula' é que a tecla da vírgula está quebrada e estou aguardando o teclado chegar dos States.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Esta ou essa quando usar (gramática)

Muita gente não sabe que há diferença em quando usar esta ou essa (gramática), em uma frase. E de fato há...

E respondendo a pergunta quando usar as palavras esta ou essa, desta, dessa e aquela: Vou explicar a diferença entre esta ou essa recordando a maneira como aprendi de um jeito que fez com que eu NUNCA MAIS ESQUECESSE...

...E recordando
Lembro-me que, certa vez (e lá se vão anos), perguntei ao meu professor de língua portuguesa - o estimado professor Albo - quando deveria usar essa ou esta e ele olhou firmemente em meus olhos - já era um senhor duns 75 anos ou mais - e disse enquanto batia com força e apontando para a mesa dele disse:

 _ Esta mesa é minha, e apontando para minha mesa (carteira)... _ Essa mesa é sua! E arregalou os olhos. Eu nunca mais tive essa dúvida. Se fixou que nem cola em meu cérebro e creio que na menta dos alunos da sala inteira.

Como fazer um bom café

Nada como um cheirinho de café passado na hora... O aroma do café quentinho recém-preparado e aquela fumacinha nos fazem necessitar de uma xícara de café e nem precisa ser feito em máquina de café expresso.

Mas como fazer um bom café?
Daqueles que a gente toma nas cafeterias ou em casas do interior do de fazenda, que a gente vê o grão torrado se transformar em pó (o aroma é quase perturbador) e torce para que a água passe logo pelo coador de pano já amarronzado de tanto café que já tirou.




A ideia para escrever esse post veio de uma entrevista que assisti e que me deixou cabreira, pois segundo a barista, é impossível tirar um bom café com o café que a gente compra no mercado... Leia no final*

Para preparar um bom café em casa se você for como a maioria das pessoas que não tem um moedor de café em casa (:/) basta seguir algumas dicas para um bom café:


1. O pó de café:
- Marca: Escolha uma marca que possui certificado de pureza e qualidade, o selo de pureza ABIC, facilmente verificado nas e…

O livro "Diário de uma Vegana" mexeu com minha "alma" vegana

Ando enfrentando uma questão pessoal que envolve o universo da carne, do vegetarianismo e quiçá do veganismo. Não chega a ser um drama, talvez seja quase um dilema, o qual não consigo resolver -- não a médio prazo. E quem me conhece de verdade pode imaginar o quanto eu quero (ou precisava) escrever sobre o assunto. No entanto, faltava-me o estímulo para transformar em palavras o que sinto, ou melhor, o que sente minha alma vegana. O estímulo surgiu ao tomar conhecimento do livro "Diário de uma Vegana", de Alana Rox, autora que nasceu vegetariana e agora é vegana (um tipo de vegetariano estrito, que não consome NADA de origem animal).


Quando afirmo que Alana nasceu vegetariana, vocês podem imaginar que seus pais não davam carne a ela, mas não é em assim: seus pais não eram vegetarianos. E o mais incrível é que ela e filha de uma gaúcha, ou seja, é nascida em terras onde a carne é praticamente a base da refeição.

Alana Rox rejeitava qualquer alimento de origem animal, para o s…